Site já está em português.

Website already is in english.

"Sabedoria é a coisa principal; adquire, pois, a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o conhecimento." Pv. 4.7




Página Inicial / Todos os Temas / O Que Nos Impede De Verdadeiramente Seguir Cristo



O Que Nos Impede De Verdadeiramente Seguir Cristo


Autor: Paulo Bichara

11/01/2015

Verdadeiramente seguir a cristo, é algo muito mais abrangente do que simplesmente nos autodenominarmos cristãos, reconhecermos a Jesus como nosso único e suficiente salvador e irmos à igreja com certa frequência.

Trata-se de um estilo de vida, uma forma diária de conduzir seus pensamentos e atitudes a fim de “seguir a cristo”, levando em sua mente e coração a palavra viva deixada por Jesus Cristo em seus evangelhos, de maneira a evitar que buracos ou intempéries do dia-dia nos afastem dos ensinamentos bíblicos.

O autor Steven K. Scott em seu livro "Os Segredos da Liderança de Jesus”, elenca de forma muito sábia 6 obstáculos para o reino e o chamado de Deus, dos quais irei me valer agora para demonstrar como podemos estar tão equivocados com nosso estilo de vida cristão, que as vezes, aos nossos olhos parecem tão corretos, no entanto, não o são.

Acontece que a partir do momento que buscamos o conhecimento, iremos perceber como o Espírito Santo nos testifica sobre o que é verdadeiramente seguir a cristo.

 

O ORGULHO

Temos aqui, como obstáculo número 1, o ORGULHO, este que com toda certeza do mundo é o maior deles.

Ressaltemos inicialmente que o orgulho provém da falta de temor a Deus, como bem é colocado em Provérbios 18:13: "Temer ao Senhor é odiar o mal; odeio o orgulho e a arrogância, o mau comportamento e o falar perverso” (NVI), assim, temos por certo que se provém da falta de temor a Deus, é um enorme impedimento para que sigamos verdadeiramente a Cristo.

O orgulho nos mantém no erro, enquanto pensamos estar corretos, sua mente acaba se fechando de tal modo que sequer seus olhos podem ver a verdade escancarada em sua frente, pois por nós mesmos, não temos recursos para consertar nossa inadequação espiritual, ou seja, temos que deixar de lado o orgulho e sermos humildes o suficiente para reconhecer nossa incapacidade, aprendendo que tudo o que temos é pela graça de Deus.

 

FARISAÍSMO

O farisaísmo é nada mais nada menos do que a crença equivocada na própria justiça.

Este grande erro cometido por significativa parte da população, impede claramente que as pessoas confiem em Deus, pois acabaremos sempre por encontrar alguém que erra mais do que nós”.

Por exemplo quando realizamos um julgamento equivocado quanto a nossa própria bondade, dizendo que ajudamos aos pobres, não matamos, não roubamos, etc, no entanto, Deus estabelece um padrão de bondade, e nenhum ser humano jamais conseguiu alcançá-lo.

Deus nos diz: honra a teu pai e a tua mãe; e amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mateus 19:19 - ARIB) correto? Então, se alguma vez você deixou de honrar a teu pai ou tua mãe ou ainda deixou de amar o próximo como a ti mesmo, infligiu leis oriundas do próprio Deus. Deus compara nossos valores, palavras, atos, comportamento, pensamentos e motivos com sua perfeita justiça, e por esse padrão ficamos infinitamente aquém, por isso que sem o sacrifício de Jesus Cristo nunca entraríamos no reino dos céus.

Há também um erro comum quando, realizamos deliberadamente um julgamento equivocado sobre quem Deus é e como ele atua, temos uma falsa ilusão de que Deus condena apenas ladrões e assassinos, pessoas que de nosso ponto de vista são “realmente ruins", ora, Ele não se adapta a nossas esperanças ou preferências, mas já tem definido seu caráter, este que se dá por três atributos: a lealdade, a Justiça ou julgamento, e a retidão.

Temos que entender que o única solução para nós, seres humanos cheios de pecado, foi a morte de alguém sem pecados, em sacrifício perfeito - Jesus Cristo, e Ele não dá esperança par aquém não o segue.

Assim, temos que abandonar nossos conceitos de correto e justo e nos atermos a verdadeira Justiça, a palavra escrita de nosso Senhor e salvador.

 

A ATIVIDADE RELIGIOSA E A TRADIÇÃO

Ficamos cegos pelas tradições instituídas por nós, a ponto de nos esquecermos totalmente da presença de Jesus Cristo, bem como os fariseus, que inobstante a presença do mestre se atinham as suas regras, leis e normas, por eles mesmos instituídas.

Nosso principal objetivo deve ser conseguir um relacionamento íntimo e verdadeiro com Deus e isto só é possível desde que sigamos os ensinamentos de Jesus Cristo, no entanto, costumeiramente deixamos isto de lado e nos atemos apenas a ensinamentos de outros assuntos, como arrebatamento, céu e inferno, prosperidade, dons, etc.

Embora nos sintamos seguros frente a determinados temas ministrados na igreja, devemos evitar um futuro juízo frustrante para nossas almas: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mateus 7: 21-23), nos dedicando à aprender e praticar as palavras de Jesus Cristo.

 

A RIQUEZA

Será que nunca paramos para pensar naquela passagem bíblica em que Jesus Cristo diz que “…é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.” (Mateus 19:24)?

Acontece que a riqueza gera arrogância, um espírito de independência e desejo de ser servido pelos outros. Mas, para seguir Cristo, temos de desejar exatamente o oposto disso. Temos de nos humilhar, tornarmos dependentes dele e desejar servir a Deus e aos outros, em vez de ser servidos.

A história do jovem rico ilustra bem essa situação, quando o mesmo questiona a Jesus o que deveria fazer para conseguir a vida, mesmo tendo guardado todos os mandamentos e o mestre lhe responde que deveria vender tudo o que tinha e dar aos pobres para então ter um tesouro no céu e ao ouvir essa palavra ele se retira triste, porque possuía muitos bens (Mateus 19:16-22).

Mas temos que lembrar ainda que, ao contrário do jovem rico, Zaqueu, um importante publicano, que também era rico, senão mais até do que o jovem, pois além dos impostos corretos que cobrava, dos quais auferia sua porcentagem, também realizava cobranças excessivas, valorizou seu relacionamento com Jesus muito mais do que valorizava seu dinheiro ou suas posses, ao decidir dar metade de suas posses para os pobres e devolver

a cada pessoa que tinha enganado quatro vezes valor que tinha tirado ilicitamente, fato este que facilmente o teria arruinado financeiramente.

Assim, para o ser humano é impossível com riqueza entrar no reino de Deus, mas por intermédio único e exclusivo Dele, quando nascemos de novo, o impossível é alcançado.

 

OS VALORES INAPROPRIADOS

Temos uma tendência natural, digo aqui, carnal, a valorizarmos demasiadamente os valores do mundo, frente ao evangelho.

Acontece que colocamos todos os nossos esforços e dedicação em coisas fúteis, simplesmente para satisfação de desejos momentâneos, focamos aonde não devemos e acabamos por esquecer o que realmente importa.

Há aqui, uma inversão de valores, ou seja, enquanto deveríamos estar nos dedicando a leitura da palavra por exemplo, estamos tão obcecados com o último capítulo da novela que não o perderíamos “por nada neste mundo”, que expressão mais tola!

Devemos aqui abrir um parêntese, um momento para nossa própria meditação.

O que você valoriza mais do que deveria e o que não valoriza tanto quanto deveria? Será que seus esforços e seu foco estão sendo colocados aonde realmente devem estar?

Analisando sua rotina diária, em níveis de importância, numa escala de 1 a 10, aonde a palavra de Jesus Cristo se encaixa?

A verdade é que, quando nascemos de novo e começamos a ter um relacionamento íntimo com Deus, nossos valores começam a mudar para os de Cristo. É nítido como o Espírito Santo age em nossas vidas quando estamos tendo um relacionamento verdadeiro com Ele, as coisas fúteis deste mundo acabam por perder o valor, e o que realmente importa se sobrepõe.

 

O ADIAMENTO

Este tópico é um tanto quanto correlato ao anterior, pois ao valorizarmos mais nosso trabalho, por exemplo, do que Deus, acabamos por adiar nosso relacionamento com Ele, dizendo dia após dia que “queremos ter um relacionamento mais próximo com Deus”, mas nunca trazendo isto à pratica.

Esta sobreposição do mundo acima de Deus, nos traz inúmeras tragédias, como por exemplo, filhos fora do evangelho, casamentos acabados, dificuldades financeiras, até mesmo sua saúde acaba por ficar afetada.

Qualquer impedimento ou distração que nos afasta de Deus, deve ser por nós recusada: “…deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta” (Hebreus 12:1b - ARIB)

Paremos, portanto, de continuar ano após ano fazendo que sempre fazemos, para que este adiamento, a que nos envolvemos tenha fim e verdadeiramente sigamos a Cristo como genuínos e autênticos merecedores da vida eterna.

Conclui-se aqui, que seguir a Cristo, de forma verdadeira é muito mais do que pensamos, assim, afastando nosso próprio Juízo e buscando a verdade na palavra escrita de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo, teremos a verdadeira colheita de sucesso espiritual.

"Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.” (Jeremias 29:13).

 

 

Por: André Luís Pereira Bichara



Voltar Ou escolha um artigo de Paulo no quadro ao lado

MAIS ARTIGOS




"Sabedoria é a coisa principal; adquire, pois, a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o conhecimento." Pv. 4.7